Depressão Pós Parto,saíba mais!

A depressão, com freqüência, está associada a reações diante de determinados sofrimentos e sentimentos de perda, sendo está considerada uma doença pós-moderna.

Considerando o gênero,a depressão pós parto  é a quinta doença que mais gera gastos na saúde das mulheres. E é uma questão de saúde pública .

A depressão é um transtorno mental multifatorial,que pode acometer a mulher durante a gestação ou no puerpério Pesquisas apontam que as seguintes situações podem levar a mulher a desenvolver a depressão pós parto.Como exemplo citamos: fatores biologicos,hormonais,geneticos,psicologicos e socais .Situações como  baixa condição socioeconômica; não aceitação da gravidez; maior número de gestações, de partos e de filhos vivos; menor tempo de relacionamento com o companheiro; história de problemas obstétricos; maior tempo para tocar no bebê após o nascimento; violência doméstica; pouco suporte por parte do companheiro; sobrecarga de tarefas; e experiência conflituosa da maternidade podem ser o gatilho.

O quanto antes se identficar os sinais de depressão ,ainda no pré -natal, melhor será o prognostico e tratamento. Os enfermeiros e médicos do Psf devido a sua rotina e proximidade com as pacientes, teóricamente e pela vivência ,demonstram uma maior facidade em identificar alterações de humor. Evitando assim o isolamento social desta mulher e os impactos negativos em relação ao bebe e  aos familiares.

A mulher gestante por sí só, já precisa ser acompanhada de forma mais intensa e se ela apresentar índicos de depresão este cuidado deve ser redobrado. O melhor remédio é a prevenção ,suporte familiar e atraves ações realizadas durante o pré natal que visam desenvolver o afeto da mãe para com o filho ainda no ventre (a exemplo da terapia comportamental)tras bons resultados evitando assim a rejeição da criança pela mãe. O tratamento e acompanhamento devem permanecer mesmo após o parto.

Neste sentido a equipe médicos ,psicólogos,enfermeiros e enfermagem devem estar atentos,orientando também a familia.

Quem faz o diagnostico é o médico psquiatra.

Os sintomas são semelhante ao da depressão: tristeza profunda,angustia,baixa auto estima,desinteresse pela vida,desinteresse em amamentar,rejeição da crança.etc…Uma vez confirmado o transtorno é feito um acompanhamento mais especifico , inclusive utilizando  anti-depressivos.

O fato é que temos que ficar atentos !

Depressão não é frescura ou preguiça ,é uma doença!

Se você gostou compartilhe e deixe o seu comentáro!

Assista também o nosso canal no Youtube

Fonte: Livro :Temas em saúde vol 16 nº 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *