Enfermagem cuidados e controle de drenos,saíba mais

Você sabía,

Dreno pode ser definido de forma simples como sendo um material colocado pelo médico no interior de uma ferida ou cavidade, com o objetivo de permitir a saída de fluídos (linfa,sangre,pus,soro ,fluidos intestinais ou ar )presentes em uma determinada cavidade corporal.

Tem como função principal evitar infecções nas incisões cirurgicas e agravamento do quadro clinico do paciente.

Vejamos alguns tipos de dreno.

Dreno aberto, ex.: penrose;

Dreno de borracha, tipo látex, utilizado em cirurgias que implicam em possível acúmulo local de líquidos infectados, ou não, no período pós-operatório.

Dreno de penrose deve ser observado e mobilizado a cada 12 horas, ou seja, tracionado em cada curativo (exceto quando contraindicado), cortado seu excesso e recolocado o alfinete de segurança estéril, usando luva esterilizada. O orifício de saída deve ser ocluído com gaze estéril, devendo este curativo ser substituído sempre que necessário.
Dreno porto -vac
Dreno de sucção fechada; É composto por um sistema fechado de drenagem pós-operatória, de polietileno, com resistência projetada para uma sucção contínua e suave.
Composto por uma bomba de aspiração com capacidade de 500 ml, se assemelha a uma pequena sanfona comprimida ,e é relativamente pequeno ,possui um cordão de fixação, uma extensão intermediária em PVC com pinça corta-fluxo e um conector de duas ou três vias, e um cateter de drenagem com agulha de aço cirúrgico (3,2 mm, 4,8 mm ou 6,4 mm) utilizada para perfurar o local de passagem do dreno.

Dreno  JP

Drenos com reservatório JP,  funcionam com pressão negativa e diferenciando-se do anterior por possuir a forma de uma pêra.

Indicação: cirurgias abdominais. O principal cuidado: manter vácuo (Caso o contrario pode  provocar dor, desconforto, alteração de sinais vitais e outros sintomas.

Dreno de Kerr

Introduzido nas vias biliares extra-hepáticas, sendo utilizado para drenagem externa, descompressão, ou ainda, após anastomose biliar, como prótese modeladora, devendo ser fixado por meio de pontos na parede duodenal lateral ao dreno, tanto quanto na pele, impedindo sua saída espontânea.

DRENO TORÁCICO – JACKSON PRATT

Utilizado  na presença de colapso pulmonar, quando por perfuração devido trauma, ou cirurgia, presença de ar, pus ou sangue, faz-se necessária drenagem para reexpansão pulmonar e restauração da
pressão negativa.

Cuidados de enfermagem.

Observação cada tipo de dreno tem um cuidado especifico, mas de forma geral podemos citar:

Ao transportar o paciente, pinçar a extensão.

Nunca elevar o dreno aberto acima da cavidade  que esta sendo drenada,risco de refluxo.

Cuidado para não dobrar, e evitar obstrução, pois pode levar a PCR.

A cada 24 horas  realizar a troca do selo d’água de forma asséptica (Drenos compostos por selos d agua) Geralmente é o enfermeiro que faz  este procedimento  e avisa a sua equipe da quantidade de segreção drenada afim de que haja um bom controle hidrico .

Realizar o curativo diário do dreno.

Estimular deambulação, fisioterapia respiratória para
evitar infecção pulmonar.

Manter a permeabilidade do dreno, visando garantir uma drenagem eficiente;

Realizar o adequado posicionamento do dreno;

Evitar tração e posterior deslocamento;

Realizar o curativo conforme necessário de acordo com a padronização da instituição hospitalar;

Observar caracteristicas das segreções. Ex:Serosa
Sanguinolenta
Sero sanguinolenta
Pio sanguinolenta
Prevenir infecção;

Controlar a drenagem, atentando para o volume drenado, aspecto da secreção drenada,bem como os sinais flogisticos :dor ,calor ,rubor e hiperemia no local de inserção(comunicar)

Registrar corretamente esses dados.

Fonte: Livro Semiotécnica em enfermagem,portal da educação.

Se gostou,deixe o seu comentário ,curta e compartilhe este conhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *